Rodrigo diz que Paulo Dantas não tem condição moral para manter candidatura

Rebecca Loureiro

14 de outubro de 2022

“O governador-tampão afastado pela Justiça, Paulo Dantas, não tem mais nenhuma condição moral de disputar o voto do alagoano”, declarou o senador Rodrigo Cunha (UB), candidato ao governo de Alagoas, depois da decisão do Pleno do Superior Tribunal de Justiça (STJ), quinta-feira, 13, que manteve por 10 votos a 2 Paulo Dantas, candidato dos Calheiros e do deputado Marcelo Victor, afastado do mandato de governador sob a acusação de peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

“Paulo Dantas deve estar considerando desistir de ser candidato porque não consegue explicar como comprou 25 apartamentos, uma cobertura de R$ 1,6 milhão, com dinheiro em espécie, e uma mansão de oito milhões de reais. Segundo a Justiça, todo esse patrimônio foi adquirido porque Paulo Dantas lidera uma organização criminosa”, disse Rodrigo Cunha, ontem, em Arapiraca, onde cumpriu agenda de campanha. “Eu tenho as mãos limpas, fui diretor do Procon Alagoas, deputado estadual e sou senador da República, não respondo a nenhuma investigação ou processo na Justiça”, destacou o candidato.

As investigações da Polícia Federal sobre a Operação Edema, que apura desvio de R$ 54 milhões da Assembleia Legislativa de Alagoas, apontam Paulo Dantas como o líder deste esquema, com a contratação de 93 servidores fantasmas, com salários entre R$ 17 mil e R$ 21 mil, que repassam esses recursos para Dantas. “No relatório apresentado ao STJ, ficou evidente que desse volume de dinheiro, os donos das contas recebiam como prolabore do crime entre 300 e 600 reais, cada um deles”, afirmou Cunha. “Sem falar em ameaças de morte a essas pessoas e a interferência do diretor da polícia civil em favor do esquema fraudulento”, acrescentou.

“Não tem mimimi de armação, se há armação nessa história ela foi feita por Paulo Dantas enquanto diretor da Assembleia Legislativa, em um dos maiores esquemas de corrupção da história daquela Casa! A Polícia Federal investiga corrupção, roubo do dinheiro público; o STJ cumpriu seu papel na proteção do Estado de Alagoas, roubado, envergonhado, visto nacionalmente como uma terra arrasada pela fome, desemprego e pela ousadia dos que metem a mão no dinheiro público em benefício próprio”, declarou Rodrigo Cunha. “Alagoas não merece isso! Os alagoanos e alagoanas não merecem isso”, enfatizou, convocando Alagoas a “tomar o rumo certo da política” a partir de 30 de outubro.

“Temos propostas reais para combater a fome, o desemprego, e a violência em nosso estado, mas temos, muito mais, o compromisso de honrar o nosso povo, a nossa Alagoas, e não vermos o nosso estado na mídia nacional e internacional como manchete de páginas policiais! Vamos estar na imprensa como o estado que gera emprego, que reduz a fome, que acolhe quem precisa, que reduz a violência, que tem a melhor saúde, que valoriza a educação como investimento, vamos estar no mundo como o estado mais lindo e melhor governador deste Brasil”, disse Cunha.

Rodrigo Cunha é candidato ao governo de Alagoas pelo União Brasil, na Coligação Alagoas Merece Mais.

Matérias relacionadas...