Lojistas protestam contra presença excessiva de ambulantes no centro de Maceió

id5

29 de abril de 2022

Nesta quarta-feira (03), empresários e comerciantes vão vestir preto para chamar atenção pela necessidade de ordenamento do Centro de Maceió. A proposta dos empresários é mostrar que todos estão de luto já que os 26 mil empregos formais  gerados na região estão em risco devido ao projeto que cria uma “faixa amarela” para ampliar a presença de ambulantes no comércio.

O Setor Produtivo de Maceió já havia publicado uma nota de insatisfação com o desordenamento de Maceió, principalmente no Centro, orla e diversos bairros. Segundo eles, a ocupação desenfreada e desorganizada de toda a capital têm prejudicado o desenvolvimento da cidade. 

Os empresários destacaram que só na região central são mais de 4 mil empresas, gerando mais de 26 mil empregos diretos, arrecadação de tributos e renda para milhares de famílias. Eles afirmam que a própria Associação dos Camelôs Prestamistas de Alagoas tem lutado para combater a ocupação.

Eles declaram que atuam pela retomada da ordem do Centro, com uma atuação coparticipava e investimentos próprios, até obter um padrão mínimo aceitável na reorganização, distribuição regular das atividades econômicas e segurança da população. Mama

O setor produtivo também criticou um projeto de lei apresentado na Câmara de Vereadores, visando a criação de uma “faixa amarela” em toda cidade, para ocupação pelo “comércio informal”. Eles afirmam que a proposta não foi debatida com qualquer entidade do setor.

Segundo as entidades, o projeto, além de inconstitucional, contém evidente vício de iniciativa. O setor informa, ainda, que adotará todas as medidas cabíveis, caso a Prefeitura de Maceió insista em manter tais condutas e/ou a Câmara Municipal cogite a aprovação do projeto.

A nota foi assinada pela Aliança Comercial, Associação Comercial, FederAlagoas, Fecomércio-AL, Abrasel-AL, CDL Maceió, Shopping Popular Maceió e Associação dos Camelôs Prestamistas de Alagoas.

Matérias relacionadas...